JOGAR NO CORINTHIANS

Jogar no CORINTHIANS realmente não é fácil e sabemos bem disso, mas é simples saber o que a TORCIDA FIEL deseja de cada um que ostenta o manto sagrado: somente raça e dedicação.

Não vivi os 23 anos sem títulos e muito menos nem senti na pele as chacotas e gozações dos invejosos e medíocres adversários, da mídia e imprensa vendida, e nem senti o êxtase da torcida após a conquista do campeonato paulista que deu fim ao jejum de títulos. Mas dá pra perceber por documentários a euforia que tomou conta da torcida e da festa descomunal que tivemos.

A mídia e a imprensa vendida, sem ter nada o que declarar por anos e anos, inventaram a tal de taça Libertadores da America para voltar com as chacotas e gozações em cima do TODO PODEROSO e infelizmente a FIEL torcida incorporou isso como uma obsessão e estamos aos poucos voltando ao cenário de anos atrás para delírio dos medíocres adversários. Não se esquecendo de dizer que esse campeonato que hoje é importantíssimo para todos no Brasil, há alguns anos atrás NENHUMA EQUIPE BRASILEIRA dava a mínima para a competição e como em um passe de mágica da noite para o dia, todo mundo começou a se importar. Engraçado não é mesmo?

A partir dessa obsessão, a raça e dedicação que a FIEL pede a cada jogador tornaram-se LEI e ninguém, digo e repito ninguém mesmo, admite molecagem, preguiça e falta de comprometimento com a camisa do CORINTHIANS e não pense que isso é só coisa de organizado que não é mesmo.

Infelizmente não sabemos aonde isso vai parar, mas uma coisa é certa: quando o CORINTHIANS ganhar essa bosta de torneio, a torcida vai parar a cidade e olhar para esses otários e cronistas esportivos e dizer: E ai amigo?E agora?Qual torneio vocês vão inventar para vender jornais com gozações em cima TIME DO POVO?

Excelente texto do Doutor Sócrates na CARTA CAPITAL que faço jus em reproduzir aqui:

O peso da camisa do Corinthians

Carta Capital – de 14 de fevereiro de 2011.

Jogar no Corinthians é diferente. Não é como uma paixão adolescente descartável, tampouco uma daquelas certezas que possuíamos naquela época. É amor inconteste, é a alma gêmea com a qual sonhamos desde que a testosterona toma conta do nosso ser. Jogar no Corinthians é respeitar uma cultura, um povo, uma nação. É ter em conta que em cada segundo de nossas vidas é para servir a uma causa e não para dela usufruir. Jogar no Corinthians é como ser convocado para a guerra irracional e jamais duvidar que ela é a mais importante de todas as que existiram. É ser sempre chamado a pensar como Marx, lutar como Napoleão, rezar como o dalai-lama, doar a vida a uma causa como Mandela e chorar como criança.
Chorar de puros sentimentos, daqueles que arrepiam ao simples tocar da pele. Chorar de raiva inexplicável, quando sabemos que somos mais fracos e impotentes. Jogar no Corinthians é ser como todos os que nos assistem, é sentir a dor lancinante de estar longe dos que amamos, é ter certeza que ali, em campo, representamos muitos que lutam cada segundo para sobreviver no mais inóspito mundo, onde são a todo o momento agredidos, massacrados e cuspidos.
Jogar no Corinthians é ter coragem de enfrentar a massa, de colocar a cara para debater, discutir e explicar. Para jogar no Corinthians, não há espaço para passeios nem relax, o amor ao clube não deixa dormir. É uma honra infinita e, como tal, exige respostas, exclama respeito e compromisso. Jogar no Corinthians é saber o que é ser brasileiro, é alimentar uma família e a si mesmo com um mísero tostão, é andar horas, séculos, milênios em vagões imundos e porcos, sem que uma única voz se levante para nos proteger ou ao menos nos defender. Jogar no Corinthians é ir ao banheiro mais sujo do mundo por amor a uma bandeira.
Essa paixão não permite fugas, esconderijos, falsidades. É necessário ter coragem de representar o que de mais rico nós temos e de apresentar mais que atestado de bons antecedentes. Jogar no Corinthians é possuir uma declaração de honraria, ainda que seja válida por poucas semanas. Não é só suar a camisa, é sangrar até a morte. É parar de respirar quando uma derrota nos derruba sem direito a desfibrilador algum. É nunca rir da desgraça que provocamos (até porque jamais saberemos o tamanho dela).
Jogar no Corinthians é colocar alma e coração antes do bolso ou do futuro, e colar o supercílio com uma cola qualquer quando ele se mete a chorar de dor vermelha. Jogar no Corinthians é adormecer com o filho querido, é sentir o pulsar de seu pequeno coração, é abreviar a dor quando ela se estabelece. É saber o que é a sociedade no pleno sentido da palavra.
Espera-se de quem joga no Corinthians uma postura altaneira e respeitosa, uma correção de conduta em relação aos anseios do povo que lá os coloca, endeusa, acaricia. Uma nação que tudo oferece aos jogadores que possam retribuir a confiança. Jogar no Corinthians exige um sentimento de brasilidade, de reconhecimento da extrema miscigenação existente nas arquibancadas, em cada mesa de bar, nos ônibus lotados de suor e sofrimento, para que se consiga responder às questões básicas colocadas na camisa alvinegra. Ser corintiano é, como disse o extraordinário Toquinho, “ser um pouco mais brasileiro”. Eu, por outro lado, digo: negros e brancos construindo uma nação.
Nada se compara ao Corinthians nesta terra chamada Brasil. Aqui, japoneses, árabes, mongóis, siberianos, italianos, bolivianos – além dos nordestinos – e até os originários de estados rivais se irmanam, dão-se as mãos, sofrem em comunhão. Gritam em êxtase a cada vitória por menos importante que seja, como se cada vizinho fosse mais que irmão, pai, mãe. Ou, quem sabe, ele seja realmente um representante de suas famílias distantes ou ausentes, inventando uma nova e substituta, formando uma gigantesca rede de genomas humanos com o mesmo DNA. Muitos não entendem a reação da torcida, mas é a que conhece.
Antigamente, se jogavam ovos e tomates nas péssimas apresentações artísticas. Hoje, jogam-se pedras, não nos artistas, e sim na falta de verdade na relação existente. E na instituição protegida pela armadura de um ou mais veículos e da guarda policial.

Por Sócrates – comentarista esportivo foi jogador de futebol do Corinthians, entre outros clubes, e da seleção brasileira.

Jogar aqui não e fácil realmente, mas a realidade é essa: NÃO ACEITAMOS VAGABUNDOS COM A CAMISA DO CORINTHIANS!!

ALÔ, ALÔ ROBERTOS CARLOS: FUGIU DO BRASIL DIZENDO QUE O MOTIVO ERAM AS AMEAÇAS DA FIEL A SUA INTEGRIDADE E A SUA FAMILIA E VOCE VAI JOGAR AONDE?ANZHI?EQUIPE RUSSA DO DANGUESTÃO?

NO ONDEQUISTÃO?QUEM?

UM LUGAR QUE SÓ ESSA SEMANA SOFREU DOIS ATENTADOS SUICIDAS DEIXANDO 4 MORTOS E 21 FERIDOS?

E MEU CARO AMIGO PIPOQUEIRO E MERCENÁRIO: NESSA PROVINCIA AI QUE A TRANQUILIDADE E PAZ É O LEMA DO LUGAR, VOCE VAI PODER PASSEAR TRANQUILO COM A SUA FAMILIA.

***** OU JOGA POR AMOR OU JOGA POR TERROR *****

VAI CORINTHIANS!!

5 comentários sobre “JOGAR NO CORINTHIANS

  1. João Roberto

    Perfeito seu texto.

    O dia que o Timão ganhar este titulo, vão inventar outro assunto, pode ter certeza.

    E vamos ganhar este titulo :
    – O dia que a diretoria parar de colocar no ônibus e nos discursos : rumo a bla bla bla
    – Os proximos presidentes pararem de prometer: prometo ganhar a bla bla bla
    – E a torcida, principalmente a torcida, parar com : bla bla bla é obrigação !!

  2. reginaldo

    Gostaria de saber como faço para escrever meu filho de 15 anos na peneira do corinthians. Ja entrei em todos os sites do corinthians e a ùnica coisa que vejo é propagandas de produtos<serà que vc poderia me indicar o e-meil certo.oguardo resposta obrigado

  3. Cara nao sei ao certo as datas,mas liga em um desses numeros que te informam:
    CT Joaquim Grava
    Rua Arlindo Bettio, 502
    Altura da saída 17 Rodovia Ayrton Senna (Trabalhadores)
    CEP: 03828-000

    CT Itaquera
    Avenida Miguel Ignácio Curi, 111
    Vila Carmosina
    Telefone: (11) 2071-4111

    Sport Club Corinthians Paulista
    Rua: São Jorge, 777
    Caixa Postal: 15710
    Bairro: Tatuapé
    Cep: 03087-000
    PABX: (11) 2095-3000

    • Secretaria
    Terça a sexta, das 8h às 20h30
    Sábados, domingos, segundas e feriados das 8h às 16h30
    Ramal: 3002

    • Secretaria de Esportes
    2ª a 5ª feira das 8h as 18horas
    6ª feira das 8h às 17h
    Sábados e Domingos: fechado
    Ramal: 3114

    • Administração
    Segunda, das 9h às 18h
    Terça a sexta, das 8h às 18h
    Ramal: 3028

    • Departamento de Comunicação
    comunicacao@sccorinthians.com.br
    Segunda a sexta das 9h às 18h
    Ramal: 3021

    • Departamento de Futebol Amador
    Segunda a sexta das 9h às 18h
    Ramal: 3104 ou 3107

    • CT Itaquera
    Segunda a sexta das 9h às 18h
    Tel: (11) 2071-4111

    • Ouvidoria
    comunicacao@sccorinthians.com.br
    Segunda a sexta a partir das 9h
    (11) 2095-3021

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s